quarta-feira, 18 de abril de 2012

Capitu renascendo das cinzas..

Minhas motivações são um tanto quanto controversas. Só dou o melhor de mim quanto o pior acontece. E quando dou meu melhor, dou todo meu conteúdo ruim também. Contrários que não se separam, metades que se completam em dúvidas.

Só não sei diferenciar qual a realidade que me aflige; mal de quem dissimula a própria vida. É Capitu renascendo das cinzas. A motivação vem daquilo que eu julgo crueldade do mundo para comigo; em outras palavras, todas as ações sociais direcionadas a mim. Falta discernimento para reconhecer o universo que meu mundo se depara no exato momento que abro os olhos; e o que é bom ou ruim fica a cargo da minha concepção falha e tortuosa sobre a realidade.

É como se eu fosse o centro da existência humana e o ímã da má sorte estivesse unido às minhas costas em forma de asa de anjo e eu nem saiba (jamais saberia). Os mais tristes sentimentos estão ao meu redor e os absorvo por difusão facilitada (Ou seria fruto da minha imaginação negra?)

Ser o animal mais primitivo da espécie me permite qualquer comportamento irracional, um simples movimento é aceito para considerar-se vivo. "Ser pulsante" eu sempre dizia, em latência, em verdade. Vivo, porém passivo da criação da sua mente, perdido em suposições de um pensamento doente.

Capitu fica de pé mas não sabe se anda passos para frente ou para trás.