quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Historiando

A organização política do Brasil é construída desde a presença da Família Real em 1808. Essa dialética é condutora da história até aos dias atuais em um processo contínuo de sobreposição de acontecimentos.

Para preservar a autonomia administrativa do país, o primeiro passo fora a proclamação da Independência em 7 de Setembro de 1822. Ao contrário das demais nações latino-americanas, o Brasil adotara a monarquia após  à independência.

Houvera o Período Regencial, no qual a instabilidade econômica e política fizeram-se presentes.

No segundo Reinado, Dom Pedro II tivera como tarefa manter a unidade política, a união das províncias e a ordem social.

No final dos século XIX houvera o declínio do Império devido ao fim da escravidão aliado à outros fatores internos. A monarquia caíra no Brasil e assim foi implantada a República, na qual estamos inseridos. 

Nova Constituição fora adotada, outra bandeira hasteada, a Igreja e o Estado foram separados. Mas em que espaço o povo atua? Quem transforma à nós?

A resposta vem no eco, atravessando o tempo: nós mesmos.

A atuação cidadão coletiva também é capaz de escrever a história. Somos indivíduos sociais, participantes do processo iniciado ainda por Dom João, que cada vez mais exige olhos abertos.

Direito cobrado, dever cumprido. Aqui fica a regra fundamental da formação cidadã como uma reflexão sobre a postura e a responsabilidade que deve-se ter com a nação brasileira, sendo você um simples estudante ou um Presidente da República.

Nenhum comentário: