sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Seguindo Rimando..

Em tudo o que faço, exagero
Sou em excesso
Ou vazio ou completo
Participando do anti-ético

No contra-tempo, uma dança
Quase dá um samba
Criado para bambear as pernas
Ao cruzar com as dela

Em mim, o sem sentido
O oposto, o escondido
Sempre usando o artifício
de mistério nunca entendido

No dela, uma rosa branca
Cabelos longos de cigana
Calmaria, serenidade
E toda uma sabedoria que invade

No da gente, não tem rima
Não tem nada que se complete
Não há combinação de existência paralela
Não faz sentido, não tem métrica.
Assim sigo; isso é o caminhar sozinho.
Mas pelo menos eu vou rimando.

2 comentários:

Caio disse...

Isso ai Giu! Qualquer coisa me avisa e a gente monta um grupo de rap!

giu batista disse...

hahahahhaha!

fechou!