terça-feira, 15 de março de 2011

Conjunto Unitário.

Entre o querer e o não querer, quantas possibilidades existem? E quantos problemas eu posso inventar parar me desprender do querer? Quantos desejos ficam contidos no não querer enquanto procuro esses motivos?

Fico densa, cheia de paradoxos na cabeça ao tentar me convencer de algum fator coexistente a mim. Algo que seja, deveras, real e atingível; não sei por onde começo a explicar essa desordem que me veio a mente nessa manhã.

Agora eu saio correndo pela rua sem saber que rumo tomar. Agora fujo dos sorrisos que encontro enquanto corro. Agora tenho medo até de uma folha verde que cai no meu ombro ao se apresentar.

Quantas hipóteses vou criar até encontrar uma teoria não tão falida? E quantos ''quantos'' preciso citar para descobrir o que sou em mim? Eu estou cansada de contar nos dedos. Quero contar para vocês sobre um conjunto unitário, algo que forme um só comigo.

Em qual esquina vou tropeçar, por acaso, com a certeza?


3 comentários:

BRUCELEE' lucasmartins. disse...

achei legal e confuso.
tenho só esses versos pra dar:

"Se estou confuso
Não é porque eu quero
É meu coração
Só ficou perdido"

(:

Érika Patricia disse...

"Ser autor da própria história é o nosso mais solene direito E O NOSSO MAIS IMPORTANTE DESAFIO"

............. D E S A F I O ...............

Diegσ Junior disse...

Uma esquina depois da insegurança.
Isto é, se você conseguir atravessar esta rua sem ser mordida pelos cachorros.