quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

A vida é maior que nós, afinal.

Quando sua vida é infectada por sentimentos ruins, qual o melhor antídoto? Como neutralizar as más vibrações das almas alheias? Mais difícil que obter o auto controle, é controlar a impulsividade e falta de decência de outra criatura mais errante que você.

Julga-se meio que de graça e por prazer. Fica-se na linha do comodismo em apontar o dedo aos demais. Quem não o faz? Até o alvo julga o mais fraco. E quem não precisa de cruzes para carregar pela estrada? Apesar de ofensivo e irritante, por vezes acho que ouvir coisas desagradáveis é um mal necessário. Faz bem a arte de moldar caráter. O negócio é ter paciência e analisar o que foi dito, quem disse e o qual o peso das palavras ditas.

Infelizmente alguns não enxergam com bons olhos esse lado construtivo da discórdia. Confesso que nem sempre sigo a risca meus próprios conceitos (tenho o pavil curto o suficiente para não trabalhar a sensatez), mas seria uma boa tática na maioria das vezes. É aquela velha história de respeito mútuo, política de boa convivência, paciência ''pra que te quero''.

Peço todos os dias ao Cosmo um pouco mais de sabedoria para discernir o certo e o errado, o bem e o mal, o amigo falsário e o amigo verdadeiro. Esses detalhes são sempre bem-vindo na minha porta! Bem queria que o resto do mundo buscasse a mesma sabedoria. Infelizmente, nem sempre o que é para ser, é, afinal!

Desejo paz de espírito a quem precisa e a quem merece! Não esqueçam que a vida é maior que nós! E o tempo é curto demais...

Um comentário:

peeixa disse...

Conte comigo prá buscar essa sabedoria também!
:D