sábado, 26 de fevereiro de 2011

Respire o ar do lugar onde você quer estar.

Respire com vontade. Com calma. Dando espaço ao sistema nervoso cessar. Respire o ar, respirar. Tenha a certeza de que tudo vai passar.

Vague sem rumo por entre os sonhos que já os rompeu e não tenha medo de se perder. Escolha um. Queira com mais vontade, mais que respirar.

Segure o otimismo para não se cansar. Mantenha o telefone ligado, as luzes acesas, a caixa do correio sempre vazia. Não desapareça do raio de visão de ninguém. Tem que ser alvo fácil.

Circule por lugares óbvios; aqueles típicos do cinema. Encontre o amor na próxima esquina. Desapaixone-se em seguida.

Arrume um emprego de meio período. Esqueça que está empregado pelo comodismo.

Compre um amigo. Alugue-o se possível. Chore no ombro dele. Diga o quanto injusto o mundo é.

Respire com fé. Continue a envelhecer a cada inspiração. Morra pouco a pouco ao sentir o perfume das flores nas manhãs. Respire pelas rosas, afinal. Vale a pena. Creia nisso.

Tenha cuidado. Siga o som. Siga o sol desse lugar. Inspire.. expire..


2 comentários:

Caio disse...

Achei fantástico. O que consegui interpretar foi que agindo com simplicidade, conseguimos muitas das coisas que nos esforçamos pra fazer muitas vezes canalizando energia na direção errada. Poxa eu dei uma tranquilizada geral, poderia ser psicóloga!

Fernando Rocha disse...

A simplicidade do respirar aliada a importãncia vital em nossas vidas desse ato:como tudo seria mais fácil se fossemos um tanto menos exigentes conosco mesmo ... brilhante.