domingo, 12 de dezembro de 2010

Refrão de um Bolero...

Minha percepção é tão frágil quanto as pétalas das flores mais diversas. Eu, que ponho tanta firmeza e veracidade em cada palavra solta, por mais frouxa que seja, não sei viver dessa massa de concreto. Sempre acabo atirado aos braços de quem mais me convida ao pecado, como alguém não tão decidido e firme assim.

Certo ou errado, é sobre essa vontade; tentativas frustradas de fazer algo enfim dar certo. É um desejo descomunal que provoca rachaduras por todo meu corpo e pelas histórias que eu conto.

Vontade de não me esquivar dos acasos, das controvérsias, dos paradoxos que costumam rondar a vida de quem finge não querer se envolver com a fragilidade das rosas.

Eu não me entendo em palavras, em sonhos ou conversas com o psicólogo. Mas a cada esquina algo novo me acontece e eu questiono: preciso aprender quanto sobre mim para me sentir seguro?

Então vem o silêncio.

2 comentários:

Lego disse...

Seu blog ficou lindo! Não tinha visto ainda... "qualquer esquina de qualquer pretexto"...

Érika Patricia disse...

"a cada esquina algo novo me acontece e eu questiono: preciso aprender quanto sobre mim para me sentir seguro? Então vem o silêncio."

Essa é uma bela forma de crescimento!!!

O silêncio parece não nos dizer nada, mas na verdade ele nos diz muito. Observe, a cada novo silêncio descobrimos o que já nos foi dito... Não negligencie suas descobertas... Bjos