quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Cela.



O vazio mais alto fala
Quando minha voz engasga no caminho.
O vazio se repete na alma
Quando não ponho para fora o meu riso.
Ele machuca meus tornozelos
Quando fico na cara do desprezo
Sem graça, sem choro,
Entre as grades frias
Observando o poente
Por mais um dia.


5 comentários:

Leo'Brasil disse...

O vazio mais alto fala
Quando minha voz engasga no caminho.
O vazio se repete na alma [...]

muito bom!
dessa vez, quem sente inveja sou eu.

giu batista disse...

hehe

mt obrigada! *-*

lembrei de vc quando fiz esses dois versos. Se encaixaram bem, né? e vc é tão craque nisso... rsrsrs

Anônimo disse...

muito boooooom , gostei :}

giu batista disse...

merci!

peeixa disse...

mais uma vez Giu Batista me emociona.