sexta-feira, 15 de outubro de 2010

''E que seja eterno enquanto dure'' ?


É normal cruzar com o inesperado e viciar nele? A gente gosta daquilo que é inusitado, que dá trabalho. Eu, mais ainda.

Eu. Eu e minhas impossibilidades.
Eu. Eu e minha cabeça dura.
Eu. Eu e minha ressaca moral.

Tão Eu, que só piso no chão para meus pés chegarem até ele.
Tão ele, que só pisa no chão para me esperar no outro lado da rua.

A gente, tão a gente, que a gente se esquece do resto do mundo em qualquer fim de tarde.
E a gente se leva assim, a gente se gosta assim, se encara assim.

E assim a gente passeia pelo tempo.
E que seja eterno enquanto dure.

5 comentários:

Laenia disse...

Nossa que lindo! Você tem razão, a gente gosta do inusitado, bom é se todo mundo conseguisse encarar assim.
"Que seja eterno enquanto dure" :D

Aranha disse...

Todos os seus textos são excelentes, este em especial muito bom, me identifiquei. Parabéns!

Aranha disse...

oiie! fico feliz q tenha visitado meu blog, mt obg.

p.s¹: na verdade aparece, mas aparece como Gustavo Aranha, sem foto. Eu vou ver pq isso está acontecendo.

p.s²: não nos conhecemos.

p.s³: é engraçado como eu achei seu blog, estava fazendo uma pesquisa sobre o filme, Óleo de Lorenzo. E tem uma postagem no seu blog sobre o filme, gostei do modo como vc escreve, e fui olhar os outros textos.

P.S.4: mais uma vez obg pela visita. No meu blog, tem outra série de contos, sou suspeito em falar sobre ela, mas eu particulamente gosto muito, principalmente o último conto (parte V: Em busca do intangível). Espero que leia, por enquanto tem apenas até a parte cinco.
Começa com: "parte I - Um lugar chamado Sant'Ana".

bj
até mais

Adrian disse...

Eu poderia usar de certa licença poética e colocar certos pensamentos soltos teus como meus, perdidos numa música qualquer daqui uns anos por aí até.

giu batista disse...

pois vc tem minha autorização de fazê-lo, meu bem.