sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Coringa.

Eu ando com vontade de rasgar as folhas da minha velha agenda que me acompanha por todos esses anos de sol a sol. Sinto a extrema necessidade de me desfazer do meu passado, dos detalhes no rodapé dessa vida, das lembranças que só um papel pode eternizar.

Eu queria queimar tudo para me sentir mais nova uma outra vez, sem marcas do tempo, como se tivesse nascido ontem. Queria ser ainda um embrião frágil e puro, sem maldade, sem supostas verdades, sem ética e moral, tudo isso para recomeçar do zero. Renascer sem medo.

Pretendo escrever uma nova história em entrelinhas num mangá qualquer para me tornar o super herói inabalável das icógnitas. Imagine o Coringa. Imagine o Coringa num mangá. Imagine o Coringa num mangá em entrelinhas.

Agora imagine como seria se eu me tornasse alguém novo a cada vez que rasgasse o passado, nem tão distante, mas passado. Múltiplas personalidades a cada pedaço de papel ao chão, um espelho espatifado na memória dos amigos. Raciocine comigo: e se eu conseguisse realizar ao menos uma das fantasias de vilão ou herói por dia? Que estrago.

Mamãe poderia ter me dado caráter, além de educação.
Mamãe poderia ter me deixado sonhar, mas não.

Imagine se mamãe tivesse realizado cada vontade minha; talvez hoje eu não teria com o que brincar, não teria nenhum personagem para criar e viver por esses dias de tédio.

Mamãe, sempre tão sábia.

5 comentários:

Leo'Brasil disse...

Últimamente você tem escrito as coisas mais pragmáticas que já vi!

GeorgeUlysses disse...

Olha só, eu achei bem foda. Caminha sempre assim, e então chegarás aos roteiros de Hollywood! :B

A 1ª parte é verdade, tah muito bom!

giu batista disse...

georgito! *-*
oown, muito fofo da sua parte!

brigada... e pode apostar que eu sou acredito na 1° parte do comentário! UAHSUSHSU a 2° serve só pra inchar meu ego, que eu sei. hihihi


fico mt feliz recebendo um elogio de vc! vc é o cara pra mim.

brigadão!

Moa disse...

"O homem nasceu para aprender, aprender tanto quanto a vida lhe permita."
(João Guimarães Rosa)

giu batista disse...

belas e sábias palavras!