quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Regra de uma Ordem Religiosa.


''Deus me escolheu para ser testa de ferro da humanidade'' - normalmente penso isso. Talvez seja filosofia de balcão ou ingratidão propriamente dita, mas não tem muita importância se eu sou um herege de nascença.

Eu. Herege. Posso até considerar um pleonasmo vicioso tal junção. E por ser tão pecaminoso, Deus me pôs na missão de pagar as dívidas do mundo com meu sangue, além de ouvir por toda eternidade os romances mais absurdos e emocionantes, deteriorando-me, sem poder tê-los, tocá-los ou vivê-los.

Tudo porque sou um herege. Herege? Eu sou pura maldade, puro terror! ácido sulfúrico banhando a mão, pleno anti-amor, anti-paz e como diria o Senhor Manson, um belo ''anti-papa''. Não estou tentando justificar o fracasso da minha vida e isso não é uma cartinha adolescente pré-suicídio , porém é um pedido de socorro ardente.

A revolta que há em mim não desatina à toa. Faz tanto tempo, foi por tantos momentos... e me faz continuar... e hoje em dia eu vivo de reticências, sem saber como agir ou o que esperar. Pelo Pai, pelo Filho, pelo Espírito Santo e por toda a Igreja Católica Apostólica Romana que já depravou inúmeros e matou milhares, peço paz. Quero me reerguer, me ter em mim e em Deus para estabilizar minha falta estrutural e psicológica. Dessa vez, eu pretendo voar bem mais alto.

Um comentário:

Anônimo disse...

Uhu! Que revolta, pena que não foi armada e nunca consiguirá o poder!!! Brincadêra. Gostei D+