sexta-feira, 10 de setembro de 2010

E por ser tão simples assim...

- eu te amo.
- o que?
- é, eu te amo e quero namorar contigo. Tu quer namorar comigo?
- namorar contigo?
- é. namorar, sabe. Só namorar. Namoro normal.
- e no namoro normal, tá incluso o quê?
- tá incluso te levar em casa, matar a última aula, ir no cinema aos sábados...
- tu quer namorar comigo!?
- é, menina! tu é louca por acaso?
- é que...eu não sou boa namorada, sabe. E nem sei se quero isso agora...
- Mas eu quero.
- eu não quero.
- e eu quero.
- não insiste! me escuta uma vez na vida, cara!
- a gente não se gosta? eu te amo. Tu diz que me ama, então a gente deve namorar!

E por ser tão fácil e simples assim eu deixei de amá-lo. Porque só queremos aquilo que nunca podemos ter e quando temos, por sorte ou azar, desprezamos fácil no intuito de buscar algo mais na fonte dos desejos. Fico satisfeita por tê-lo em minhas mãos. Fico mais satisfeita ainda por ter peito de te mandar sair da minha vida sem grande esforço.

5 comentários:

Noção de Nada. :) disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
giu batista disse...

?

Brucelee'LUCASPIRES. disse...

né!;D
ei mah,tua é a cara!
kk'

Leo'Brasil disse...

Por ser tão fácil e simples, nunca o amou; porque o Amor não é fácil nem simples e, se "amamos" com o egoísmo, é medíocre e morno demais para ser quente como é.

giu batista disse...

exatamente.

as vezes (a maioria das vezes), nem é amor. É algo bem similar e tão doente que se confunde...