sexta-feira, 21 de maio de 2010

No ventre




É o sopro da terra queimando lentamente
Minha introspecção
E tua vida latente,
Nossa sábia forma de enxergar os anjos,
Os tais sonhos ardentes
É a luz da tua alma ao invadir meu templo
Antro, masmorra, ambiente
Tão persuasivo é
um desejo eloquente de
Tê-lo a cada dia, a cada noite
A cada minuto excedente
Vida tua dentro de mim
No ventre.

2 comentários:

Leonardo disse...

Gostei muito! Tu mesmo quemm fez?
[LeoBrasil]

giu batista disse...

sim! :*
nem sei como saiu isso... mas saiu.
rsrs