sexta-feira, 21 de maio de 2010

Pão de Queijo


Eu não sou uma pessoa pão de queijo; aquela coisinha fofa e meiga sempre, sempre. Talvez eu prefira andar por aí, pelos lugares mais sórdidos dessa cidade imunda, sem fingir está contente com as migalhas, sem me preocupar com os bons modos e a ética. Na verdade, a ética virou um queijo suíço. Aquela moralidade arcaica acabou. Voou pela janela. Minha conduta corretíssima, meus valores ímpares, minha decência, tudo fora queimado. A muito tempo.

Pessoas virtuosas e com qualidades de protagonista da novela das 8h conseguem sobreviver nesse joguinho de quem pode mais. Eu não. Desisto logo. Pessoas pão de queijo sempre atravessam as intrigas dos tempos modernos. São coerentes demais. Já eu, não sirvo para ser ator da Globo. Não sei controlar meu alvoroço e nem pretendo. Eu gosto de ser impulsivo e teimoso. Pães de queijo são imparciais para não ferir nenhuma das partes; preferem não tomar partido. Já eu, não consigo ficar em cima do muro. Sangue faz bem aos olhos de quem o vê. Pães de queijo são feitos de plástico. Eu sou carne e ossos bem frágeis.

Por mais que eu tente voltar a ser aquele moço distinto e pão de queijo que mora numa lembrança vaga, bem longe daqui, não consigo. Depois de um choque de realidade ninguém retorna ao tom ''normal'' da vida. Normal, aos olhos da hipocrisia e surreal, à minha ótica. Essa mesmice não me seduz. É tão vulgar, tão sem variação que chega a me induzir ao erro diariamente. Não sou perverso; sou vivo. Sou real. Sou humano. Sapiens, Sapiens no total.

(meu manifesto sobre o cotidiano)

5 comentários:

Brucelee'LUCASPIRES. disse...

E ser pão de queijo,é ser comido por todos?:D

Sede ao conhecimento. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Caio disse...

Nossa!Muito bem!
Tá parecendo mineira falando assim!

Moderador disse...

Pessoas pão-de-queijo é?
Foda é que existem essas criaturas-paredões mesmo...

giu batista disse...

ser pão de queijo é ser tão idiota quanto vc, bruce.