segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Domingo Santo

A necessidade de comparecer a uma celebração espiritual comunitária vem de cada indivíduo. As pessoas devem engolir tradições da família desde o nascimento, obrigatoriamente. Sem escolhas, glorificamos deuses que muitas vezes não compreendemos e talvez nem existam.

Ir à missa ou qualquer outro culto de adoração conta a sua vontadade, torna-se um martírio. Ouvir hinos obsoletos, rezar três ou quatro orações tolas e contribuir financeiramente (o mais importante, claro) com a instituição não faz de você um fiel. Pelo contrário; é um terrível pecado devido tamanha hipocrisia.

Se há fé inabalável em um ser superior,há também lógica em frequentar esse cultos tão sagrados. Com toda admiração e respeito digo: se tens confiança e conceitos sólidos para defender sua tese, lute até o fim pela mesma. Ter crenças não é crime, porém não ter a liberdade de escolha para definir o que queres seguir,e em que queres acreditar é absurdo.

O respeito pela diversidade é fundamental. E quando cito ''crenças religiosas'' não me limito ao cristianismo. Incluo espiritísmo, islamismo, induísmo, cultura sínica (confucionismo, taoísmo, budismo), satânicos e etc. É exatamente esse leque de opções e culturas que deve ser aberto aos olhos dos novos cidadãos, formadores de opinião.

E em relação ao ceticismo, penso que deve ser tratado com igual respeito. Afinal, não é pela liberdade de escolha que estamos lutando? Criticar tal comportamento é um equívico. Logo, ser agnóstico ou ateu é tão natural e alternativo quanto ser um fiel convicto. Não ter crenças também não é crime.

E para esclarecer: agnosticismo é uma doutrina filosófica que considera o absoluto como inacessível ao entendimento humano. É divido em alguns seguimentos como:

- Agnosticismo Estrito: idéia de que a compreensão ou conhecimento sobre deuses ou o sobrenatural se encontra totalmente fora das possibilidades humanas e que jamais tal será possível.

- Agnosticismo Empírico: idéia de que a compreensão e conhecimento do divino ou sobrenatural não é até ao momento possível mas que se aparecerem novas evidências e provas sobre o assunto tal é uma possibilidade.

Agnosticismo Apático: idéia de que, apesar da impossibilidade de provar a existência ou inexistência de deuses ou do sobrenatural, estes a existir não teriam qualquer influência negativa ou positiva na vida das pessoas, na Terra ou no Universo em geral.

- Ignosticismo: Esse grupo baseia-se no fato de que primeiramente é preciso definir Deus, para apenas posteriormente discutir sua existência.

- Agnosticismo Modelar: idéia de que questões metafísicas e filosóficas não podem ser verificadas nem validadas, mas que um modelo maleável pode ser criado com base no pensamento racional. Esta vertente agnóstica não se dedica à questão da existência ou não de divindades.

E nem por isso vem de encontro a moral ou ética social. Ao meu ver é só mais uma forme de pensar. Um novo angulo para decifrar o sobre natural. A chave da uma relação amistosa entre as inúmeras doutrinas talvez esteja no respeito e aceitação das opiniões diversas. Cada indivíduo tem o respeito de preservar tradições ou mudar o sentido da sua fé. O importante é encontrar a paz em si.

2 comentários:

Lilith disse...

"Ter crenças não é crime, porém não ter a liberdade de escolha para definir o que queres seguir,e em que queres acreditar é absurdo."
Pronto, tudo oq penso.

'G i u. disse...

acho que é o que tu pensas e o que todo o mundo quer. ;/// mas infelizmente não tem...