quinta-feira, 30 de julho de 2009

Quase verdades inúteis.


Não beba.
Não Fume.
Não durma com qualquer um.

Mesmo se sua vontade for beber muito, fumar muito, e transar mais ainda. Segure seu instinto para satisfazer a Verdade Absoluta. A coerência poderá levar-te ao céu (ou a lugar algum). É bem mais confortável crer na existência de forças divinas e usá-las como motivo das suas limitações e fraquezas. É bem mais agradável não ouvir o julgamento ofensivo de uma sociedade infundada que interfere em cada atitude sua (sendo certa ou errada).

Talvez seja uma visão extremamente cética. Talvez seja uma simples visão libertária/anárquica/revolucionária exagerada. Quem sabe não é uma outra verdade absoluta que se forma aqui.

São infinitas verdades as quais nos movem. São tão contrárias e arredias que entram em colapso dentro das nossas mentes: se tornam verdades quase absolutas. Ou seja, dependendo do ângulo, qualquer verdade (ou mentira disfarçada) pode ser aceita, adorada e aclamada.

Então para que diabos as pessoas mantêm a preocupação de estarem corretas em seus atos e ideologias, se sempre haverá alguma verdade servindo como desculpa por qualquer erro? A grande sacada da vida, nessa confusão de certezas inabaláveis, é viver intensamente sem os limites de deuses falsos, falatórios apedrejadores e coerência incerta.

Quem inventa a verdade somos nós.

''amar, viver, cantar não será em vão'' - Rodrigo Lima

p.s: esse texto tá muito sem noção. Mas independente do resultado, os créditos são do Leo Brasil que me deu o tema ''Quase Verdades'' em uma de nossas viagens. (:

Um comentário:

Lilith. disse...

Um carinha que eu conheci explicou todos os mistérios do mundo em uma só frase: "as coisas costumam ter o significado que a gente atribui a elas."