sábado, 30 de maio de 2009

Por que não falar de amor?


A única verdade absoluta é que não existe amor. A paixão fulminante, carinho, respeito e fidelidade podem existir, mas amor, aqueles de cinema, não há. Os motivos que levam uma pessoa a buscar um outro alguém nunca são puros o bastante.

A obra machadiana, intitulada de A Mão e a Luva analisa exatamente esse ponto do relacionamento a dois: o que seria o amor, qual sua utilidade e o que leva as pessoas ao matrimonio. O livro é um romance sóbrio onde as personagens deixam bem claro que esse sentimento idealizado a vida inteira é simplesmente a união de interesses, estabilidade financeira e necessidade.

Procuramos por alguém que nos dê um nome e segurança, gostar ou não é detalhe. O homem é incapaz de amar algo ou outro indivíduo. Me coloco mal; o homem ama sim. Ele ama seu ego e isso basta.

Conheço um casal que vive sob o mesmo teto a 15 anos. Casaram sem amar, tiveram filhos sem amar, construíram uma história seca sem amor e até hoje a situação perdura, sendo que são relativamente felizes. Então, deve ser citado também a relação de pais e filhos. Ama-se (supostamente) os filhos, mas quando se observa bem a representação filial nota-se o real significado. A prole é só mais um pedaço, o reflexo perfeito do espelho dos pais, logo faz parte do ego humano também.
O tal amor é um jogo divertido onde louvamos o status. Nascer com uma nuvem de individuialismo sobre a cabeça e morrer do mesmo modo; é essa a regra univesal. A verdade é que na vida nada é recíproco.


* a foto representa o egocentrismo.

3 comentários:

Iago Barreto disse...

Na verdade tive que ler com bem calma, salve engano, umas duas ou três vezes. Achei um tanto exagerado este texto, porém muito bem delineado, tudo bem encaixado numa seqüência lógica de afirmações. Vale ressaltar que a foto representou muito bem o que você quis passar, no caso o egocentrismo, que em alguns casos chega a ser narcisismo, o que é pior.
O problema é que os seres humanos são naturalmente egocentricos e individualistas, o que não me faz deixar de acreditar na essência de tudo, no comprometimento verdadeiro, na pureza das relações, enfim.. acho que meu ponto de vista é um pouco diferente do seu, nesse sentido.

Lilith disse...

Talvez o amor exista, só a gente que num achou ainda...ou talvez...
ah...

Nathi disse...

Aqui vou descordar, senhorita.

Não sei quanto a você, mas eu amo.

E o que sinto não tem relação com segurança e egoismo, tem a ver com tudo que não se explica, com tudo que não se sabe quando começou, com tudo que muda sua vida em alguns meses e você não lembra mais como era antes deste amor chegar.

Amor tem haver com uma escolha que se faz:
Vou viver só pra mim ou para outras pessoas?

Quem não consegue enxergar isso, não ama.

Desejo amor pra você esta semana que estamos! Se você gostar, desejo que meu desejo seja repetido quantas vezes necessárias.

Ps: Amor não tem nada haver com filme, isso é tudo venda e mercado e talz!